Por que fazer uma pós-graduação?

A busca por cursos de pós-graduação na área médica, tem crescido de forma expressiva no Brasil. O número de faculdades de medicina já passa de 340, mas o número de vagas em programas de residência médica, não acompanhou proporcionalmente este crescimento.

Neste sentido, mesmo querendo, muitos médicos não conseguem ingressar na residência e buscam um curso de pós-graduação, como forma de aprimoramento profissional em áreas específicas. Além disso, houve uma mudança no cenário socioeconômico, no qual os alunos recém-formados, precisam trabalhar para pagar a sua faculdade ou ajudar no sustento do lar.

Como é uma tarefa árdua, conciliar o trabalho com a residência médica, optam por ingressar em um curso de pós-graduação. Em paralelo a este momento do recém-formado, nos deparamos com profissionais que já realizaram um programa de residência médica e estão buscando novos desafios e planejando o futuro.

Então, por que  fazer um curso de pós-graduação?

A resposta poderia ser simples e objetiva: conhecimento nunca é demais. Entretanto, nem sempre é fácil organizar a agenda, conciliar os estudos com o trabalho e abrir mão de noites ou final de semana para voltar a estudar. Com o mercado de trabalho a cada ano mais competitivo, aprimorar o currículo, sair da zona de conforto, buscar melhores posições no ambiente de trabalho e consequentemente melhor remuneração, passa a ser um objetivo cada vez mais comum entre os médicos.

Uma dúvida muito frequente, está ligada à tomada de decisão de em qual curso se inscrever. Você sabia que existem diferentes tipos de cursos de pós-graduação? Pois é, vamos falar sobre essas modalidades e explicar quais os objetivos de cada um deles. Sendo assim, você terá uma visão mais clara e conseguirá escolher o curso que melhor se encaixa em sua carreira.

A primeira pergunta que deve ser feita é: qual é o seu objetivo?

Aperfeiçoar meu meu desempenho profissional ou me tornar pesquisador e/ou professor? Com essa resposta clara, será mais fácil decidir entre um curso de pós-graduação lato sensu ou stricto sensu.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a pós-graduação lato sensu tem duração mínima de 360 horas, podendo ser dividida em carga horária teórica ou teórica e prática; e ao final do curso,  o aluno receberá um certificado reconhecido pelo MEC. Este modelo foca no aperfeiçoamento profissional, em conteúdos que trazem competências práticas e auxiliam o profissional a buscar novas posições em sua área de atuação.

Embora a pós-graduação lato sensu seja um curso de especialização na área médica,  o título de especialista é outorgado somente pela Associação Médica Brasileira (AMB) por delegação a cada sociedade médica reconhecida no país. As provas para a obtenção do título de especialista são realizadas pelas comissões de título de cada especialidade, cujos critérios podem variar a cada gestão e entre especialidades.

Por decisão da AMB, a residência médica nunca será pré-requisito exclusivo em nenhuma especialidade. Já a pós-graduação stricto sensu, engloba programas de mestrado e doutorado, para candidatos diplomados em cursos superiores de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino e ao edital de seleção dos alunos. Profissionais que buscam este modelo de curso, focam na formação de professores e/ou pesquisadores, com a pretensão de seguir a carreira acadêmica.

Sem dúvida, existem diversos benefícios específicos em cursos de pós-graduação, independente do modelo. Esta deve ser uma decisão particular e baseada no planejamento da sua carreira. Como citamos acima, cada curso auxiliará em uma formação específica, mas é inquestionável que ambos trarão novos conhecimentos e algo fundamental nos dias de hoje: networking

Qual pós fazer, eis a questão? Se você tem vontade de fazer uma pós e não sabe qual nem aonde fazer, procure a TERZIUS! A Curem indica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Teste form RD

Total
0
Share